terça-feira, 25 de junho de 2013

Paulo Bonavides: convocação de constituinte é 'golpe de estado'

segunda-feira, 20 de outubro de 2008 às 15h54

Brasília, 20/10/2008 - "Um golpe de estado branco. O que se quer, na verdade, é aniquilar e destruir a Constituição brasileira, é tirar do povo a sua arma maior para a liberdade. Temos que reagir". A afirmação foi feita hoje (20) peloconstitucionalista e medalha Ruy Barbosa da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Paulo Bonavides, ao rebater, com veemência, a possibilidade de pedido de convocação de uma Assembléia Nacional Constituinte por parte da liderança do governo na Câmara dos Deputados. Para Bonavides, essa tentativa de ferir de morte a Constituição vem do egoísmo das elites brasileiras, "as que estão à frente do processo político e tentam desvirtuar a Constituição de 1988, exatamente no momento em que celebramos os seus 20 anos".
Bonavides ainda classificou a possibilidade de convocação de uma constituinte como um trabalho de "traição" à nacionalidade, "um trabalho sub-reptício que está sendo feito nos subterrâneos das instituições políticas" e que "vai aflorar com mais força para esmagar a grande conquista da sociedade brasileira, que é a Carta de 1988". "Corremos gravíssimo perigo de sermos apunhalados por um golpe de estado branco, dissimulado e feito como se fora para salvaguardar a Constituição", afirmou.
A seguir a íntegra da declaração feita pelo jurista Paulo Bonavides sobre a possibilidade de pedido de uma Assembléia Nacional Constituinte:
"Isso representa um golpe de estado branco, que já se tentou várias vezes. A cerca de dez anos eu fiz uma denúncia à nação para que reagíssemos e tolhêssemos a marcha do golpe e essa tentativa de ferir de morte a Constituição. Essa tentativa agora está sendo ressuscitada pelo egoísmo das elites brasileiras, as que estão à frente do processo político e tentam desvirtuar a Constituição de 1988, exatamente no momento em que celebramos seus 20 anos. Querem atraiçoá-la, querem feri-la mortalmente e seqüestrar do povo brasileiro o texto de sua liberdade. Este é um trabalho de traição à nacionalidade, é um trabalho sub-reptício, que está sendo feito nos subterrâneos de nossas instituições políticas e que, agora, vai aflorar com mais força para esmagar a grande conquista da sociedade brasileira, que é a Carta de 1988. Corremos gravíssimo perigo de sermos apunhalados por um golpe de estado branco, dissimulado e feito como se fora para salvaguardar a Constituição. O que se quer, na verdade, é aniquilar, destruir, é tirar do povo a sua arma maior para a sua liberdade. Temos que reagir, salvar a Constituição."

Nenhum comentário:

Postar um comentário