quinta-feira, 12 de junho de 2014

María Corina Machado no Senado brasileiro: quanto desrespeito a uma mulher digna e valente!!!


Na quarta-feira 2 de abril, a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado brasileiro, promoveu uma audiência pública para supostamente debater a crise política na Venezuela e trouxe a deputada María Corina Machado para que ela pudesse relatar o que estava acontecendo em seu país. A decisão foi tomada no dia 28 de março, por iniciativa do presidente da comissão, Ricardo Ferraço do PMDB-ES. A  senadora do PCdoB, Vanessa Grazziotin não aceitou a idéia de se ouvir María Corina sem que também viesse alguém do governo. O senador pelo PSBD, o terrorista Aloysio Nunes, alegou que isso era uma desculpa para que María Corina não denunciasse o que estava ocorrendo DE FATO em seu país, mas que aceitava a proposta desde que não houvesse vândalos do PCdoB agredindo a deputada.

Grazziotin aborreceu-se com essa afirmação e houve um bate-boca entre os dois senadores, quando o senador Eduardo Suplicy, do PT, sugeriu trazer o deputado chavista Rodrigo Cabezas que finalmente foi trocado pela vice-presidente da Assembléia Nacional, Blanca Ekhout.

Grazziotin estava disposta a fazer o que todo comunista sabe muito bem, e o seu partido se esmera mais que qualquer outro: desqualificar provas, quando estas não lhes favorecem ou denunciam, e enaltecer os crimes de ditadores e terroristas, como é o caso de Maduro na Venezuela. Esta gente SABE que defende o indefensável, pois María Corina apresentou para essa Comissão o vídeo que havia preparado para exibir na reunião da OEA, que finalmente acabou não tendo permissão de participar.

As provas apresentadas nesse vídeo são contundentes e de conhecimento do mundo inteiro, não tendo como negar que parte do governo a violência e os crimes de morte que hoje já alcançam a macabra cifra de 40 assassinados. Diante disso, a senadora comunista que idolatra o pedófilo e genocida comunista Mao Zedong, disse que o vídeo era “uma montagem” e que “ocorreram mortes dos dois lados”. Esta aleijada moral teve a ousadia de dizer a María Corina, que está vivendo na pele este horror, o seguinte: “Esse vídeo é uma montagem. Considero a sua exibição um desrespeito ao Senado do Brasil Não queria nos enganar com aquilo”. Bem, foi com essas palavras que esta desqualificada se dirigiu a María Corina Machado, uma mulher valente e patriota que luta, dando a cara e se expondo desarmada, para que seu país não seja subjugado ao comunismo mais abjeto e criminoso dos irmãos Castro.

Em resposta, disse María Corina: “Hoje em dia, o que está em jogo é a democracia. Alguns dizem que na Venezuela há uma guerra civil, mas o que existe é uma guerra contra os civis, promovida pelo Estado. E muitos dos que foram tão ativos nos casos do Paraguai e de Honduras hoje dão as costas à Venezuela”.

O senador Suplicy, completamente senil e que há anos deveria estar num asilo de dementes, criticou a oposição venezuelana por que querer a derrocada de Maduro, sacando o velho chavão de que este usurpador foi “eleito democraticamente”. Com ele fez coro Randolfe Rodrigues do PSOL, dizendo ter “aversão” à palavra “fora” quando se refere a um presidente eleito. E finalmente, Roberto Requião do PMDB, mostrou preocupação apenas com o desabastecimento, e criticou superficialmente a PDVSA por vender petróleo aos países da ALBA por preços muito baixos.

Nas galerias histéricos papagaios de bordel do MST e partidos comunistas, que certamente foram pagos para mostrar sua cólera e horror à verdadeira democracia, gritavam “María Corina golpista!”, mas esquecem-se, os asnos raivosos, que seu ídolo Hugo Chávez foi o primeiro a dar golpe no país, primeiro em 1992 com um saldo de mais de 100 pessoas assassinadas, dentre elas crianças que nada tinham a ver com sua sede de poder, e depois o próprio Maduro, desde que Chávez fez sua última viagem a Cuba e ele apoderou-se do Governo ferindo o que reza a Constituição Nacional. Repetem o que lhes pagam para dizer, nada além disso.

Apesar da vergonha que os brasileiros de bem e amantes da liberdade, da lei e da ordem sentimos, com o posicionamento canalha do governo brasileiro e seus aliados desde que começaram esses episódios, essa visita serviu para deixar claro à María Corina que nós também caminhamos para uma ditadura como a que ela vive hoje em seu país e que aqui ela e os venezuelanos que lutam pela sua liberdade JAMAIS encontrarão respaldo. A cobertura foi pífia e creio mesmo que censurada, pois não se encontrou em lugar nenhum a gravação desta audiência, a não ser parte do discurso dela que reproduzo abaixo.

A clareza, firmeza e tranqüilidade com que María Corina expõe os fatos e explica inclusive a ilegalidade de sua deposição do cargo, aborrecem os espíritos trevosos, como esses senadores comunistas e essa claque paga que a afrontaram com sua visão turva, sua moral ausente, e seu ódio a tudo o que não seja maligno como seus ídolos. Que Deus abençoe e proteja esta mulher corajosa, cuja única arma que possui é a palavra e a certeza de que não pode claudicar na defesa da liberdade e democracia em seu país. Viva a Venezuela livre do comunismo castro-chavista! 



Fiquem com Deus e até a próxima.

Fonte: http://notalatina.blogspot.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário